Você está louco? Não tá entendo o que estou dizendo? Isso não é só um cheiro, você precisa de um padre pra se livrar dessa coisa!

Terrivelmente emocionada por estar escrevendo aqui, vou falar do episódio do carro fedido.

O episódio começa no estacionamento do restaurante onde Jerry e Elaine jantaram, e estão esperando o flanelinha pegar o carro de Jerry. Ela quer sair logo de lá para encontrar o novo peguete dela. Estranho isso, Jerry sai com ela pra jantar e depois vai deixá-la na casa do cara. É como naquele episódio “The Summer of George” em que George sugere Jerry que dividam as tarefas de se estar com uma mulher. Um cuida do emocional, e o outro do sexual. Uma boa idéia se você conseguir arrumar uma mulher louca o suficiente.

Bom, o carro chega, e alguns momentos depois de saírem, percebem que o carro está muito, mas muito catinguento. Está com “odor corporal” numa tradução apurada do que a gente chama de cêcê. E não é um cêcê qualquer, é um super cêcê, que impestiou o carro inteiro. Eles chegam à conclusão de que o flanelinha devia estar fedendo e agora o carro também.

Elaine chega no encontro dela, na casa do cara, que foge bem do tipo dos caras que ela costuma sair. Ele dá um beijo seguido de um abraço, e quando cheira o cabelo dela, lá está o cêcê do carro. Ele decide não comentar nada com Elaine.

Mudando de cena, George está na locadora, e vê um casal de lésbicas. Ele está curtindo muito a situação, até que vê que uma delas é sua ex, Susan. É um medo aceitável. Um cara pode ser tão repugnante a ponto de tornar um mulher lésbica? Fazê-la ficar longe de caras por um tempo tudo bem, mas trocar completamente de time, é um feito muito grande para um homem, se fazer tão horrível assim a ponto de manchar a reputação de um gênero inteiro. Eu acho honroso.

No dia seguinte, o carro de Jerry ainda fede. Fede muito. Parece feder mais ainda do que no dia anterior. Elaine então comenta que o tal cara com quem ela se encontrou disse que tinha que acordar cedo no dia seguinte. Obviamente estava mentindo porque, de acordo com Jerry (e isso torna a afirmação completamente verdade), um homem nunca recusa sexo, mesmo tendo que acordar cedo. Homem que é homem, dá um jeito. Kramer então entra no apartamento e sente que Jerry está fedendo. Elaine liga os pontos e percebe que o homem deve ter “liberado” ela porque estava fedendo também. O fedor está vivo e se prendendo a todos perto dele.

Elaine toma banho, lava o cabelo, e ainda fede. O homem não quer nem chegar perto dela. Enquanto isso, Kramer acaba ficando com a namorada de Susan, Jerry leva o carro para uma SUPER lavagem e Elaine vai no cabelereiro fazer também uma. Mesmo depois das lavagens, o carro ainda fede, e o cabelo de Elaine também. Jerry desiste do carro e dá para um cara qualquer na rua. Me surpreendeu que Jerry tenha aguentado tanto tempo aquele fedor, sendo tão limpinho que é. Eu mesma to com uma camisa muito fedorenta agora, mas estou usando porque é minha camisa de dormir preferida.