Eu desistiria de comer carne vermelha só pra te ver de sutiã.

Por mais que a série se chame “Seinfeld” e não “Costanza” e George seja comumente visto como um sidekick (já tendo até disputado com Robin a posição de “companheiro de aventuras” mais importante da cultura pop e me fazendo pensar que se Seinfeld existisse atualmente o Tumblr estaria cheio de mash-ups entre eles e a Liga da Justiça) eu sempre considerei George uma espécie de “protagonista moral” da série e portanto costumo gostar mais de um episódio na proporção em que ele oferece mais espaço para que George faça o que sabe melhor: ter alguma grande ideia e ser extremamente prejudicado por ela. E por isso The Secretary, ainda que provavelmente não um clássico, é um ótimo episódio.

Tudo começa na lavanderia, enquanto Jerry está deixando um de seus casacos e o casaco de pele de sua mãe, e George conta que, diante da possibilidade de contratar uma secretária, decidiu evitar alguma mulher atraente, impediria que ele se concentrasse, e focar apenas em contratar alguém eficiente. Vemos George eliminando todas as candidatas bonitas (“You’re extremely attractive, you’re gorgeous. I’m looking at you, I can’t even remember my name”) até que ele escolhe a que parece mais séria, profissional e menos propensa a ter qualquer envolvimento com ele. O que obviamente acontece, levando a um momento durante o sexo em que ele promete para ela um aumento depois de apenas três dias no emprego (“é quase uma semana”, diz Jerry).

Enquanto isso Jerry descobre que Willie da lavanderia foi ao cinema com o seu terno, Elaine desconfia que os espelhos da loja de roupas estão distorcidos para emagrecer as clientes e Kramer consegue o telefone de Uma Thurman, desencadeando uma série de eventos que termina com Elaine tendo que comprar um vestido manchado por ter saído da loja com ele, Kramer preso sem roupas dentro de um provador e Kenny Bania conseguindo não apenas dois jantares com George no Mendy’s (“The best Jerry, the best”) como também um encontro com Uma Thurman. Tudo isso, é claro, enquanto George, após pedir a seu chefe um aumento para a secretária com a intenção de cumprir sua promessa, descobrir que agora ela ganha mais do que ele. George Costanza, amigos.

Entre as virtudes do episódio ficam, além do entrelaçamento bacana de histórias que caracteriza Seinfeld e da lição importante que Costanza nos ensina sobre o que nunca gritar na hora do sexo, também o retorno do sempre irritante Bania e principalmente as aparições do chefe de George, Sr. Steinbrenner, voz de Larry David, que nos oferece alguns dos melhores diálogos (monólogos?) do episódio, incluindo uma menção a cupcakes que me faz pensar numa época bonita em que não apenas eram produzidas séries como Seinfeld mas também podíamos mencionar cupcakes num contexto seguro e sem a carga simbólica dos dias atuais.

De uma época em que existiam séries como essa, Jason Alexander não fazia videoclipes e cupcakes eram apenas cupcakes nos resta sentir apenas saudades.