Eu não gosto nem de sentar ao lado de um homem no avião, porque nossos joelhos podem se tocar.

Amigos, é a terceira temporada. A primeira temporada de verdade. Esse primeiro episódio, The Note, é do George. Não temos flashbacks dele, nem nada. Mas ele rouba a cena, fato. O caso é que ele recebe uma massagem de um massagista homem, Raymond, e fica com medo de ser gay.

As duas primeiras cenas são fantásticas. Na primeira, Jerry está recebendo uma massagem. Ele está muito relaxado, conversando com a massagista sobre qual seria a pior coisa em ser cego (ele diz que a pior coisa seria não poder ver se haveriam insetos na comida). Aí ele conta um caso de um garoto que foi sequestrado e a massagista fica paranóica achando que ele é um maluco sequestrador.

Depois, no apartamento, ele está contando o caso pra Elaine. Essa cena é demais. George também está lá, procurando comida na geladeira. Os três estão lá, interagindo, mas cada um está concentrado numa coisa diferente. George está na geladeira, reclamando que ela está vazia; Jerry está contando a história da primeira cena, da massagista que ficou noiada, pra Elaine; Elaine está ouvindo a história do Jerry, mas querendo contar uma outra história que ela tinha lembrado. Taí uma lacuna da sociedade. É muito rápido, mas numa pausa do causo do Jerry, Elaine fala empolgada “ah, lembrei de uma história pra contar”. Jerry diz que ainda não tinha terminado e todo mundo sabe que quando isso acontece, você perde a concentração. Os três focam no mesmo assunto quanto Jerry diz ter um canal pra conseguir massagens de graça.

Essa do George achar que é gay é engraçadíssima. Um cara vai fazer massagem nele e ele sente um “movimento” lá embaixo. Ao contrário do Jerry, relaxado recebendo a massagem da mulher na primeira cena, aqui George está completamente imobilizado pela situação de ter um homem tocando nele. E ele fica paranóico até quando o médico do Jerry pergunta o que ele acha do Evander Hollifield.

Eu, por exemplo, acho que comprar desodorante é uma das coisas mais gays que um homem pode fazer. Por isso, eu sempre compro o mesmo, um que a Ju gosta e pronto.

Outra coisa legal desse episódio, e que acabou se tornando um tema recorrente na série, é o Kramer ver (ou achar que viu) uma celebridade. Aqui ele acha que viu o ex-jogador Joe DiMaggio comendo rosquinhas num lugar lá perto. A análise que ele faz do cara comendo a rosquinha e a comparação com o modo como ele jogava são brilhantes.

Ainda teve o canal do Jerry, um dentista (?), sendo investigado por fraude do plano de saúde, outro tema recorrente. Mais uma coisa que sempre acontece na série: alguém se dá muito mal por causa de um favor. Em Seinfeld, sempre quem faz um favor, acaba se dando mal. A lição é, então, nunca faça favores a ninguém.

Falei que o episódio é do George, mas pensando bem, talvez não. Apesar de não ter tanto destaque, Elaine e Kramer tem momentos sublimes. Elaine, quando está discutindo com o George sobre quem vai receber a massagem do cara (ela acaba indo com uma mulher) e Kramer batendo na mesa pra chamar a atenção do Joe DiMaggio. Jerry está como sempre.

Belo começo de temporada.