“O trem estava tão lotado que eu tive que me sentar de costas” / “Ah, eu gosto disso, é como voltar no tempo.”

Os quatro personagens principais são convidados por uma amiga em comum para conhecer o seu bebê em ‘Hamptons’, um lugar conhecido por suas casas de praia e vinhedos. Em um carro, Jerry guia Elaine e Kramer; em outro, a namorada de George dirige para o mesmo local.

Quando chegam no local, conhecem o pediatra do bebê, que diz que a Elaine é “de tirar o fôlego”, mas que logo depois usa a mesma expressão para definir o bebê (o que é estranhamente bizarro). Me lembra aquelas mulheres descoladinhas que fizeram moda e chamam todo mundo de “gato”. “Olha só, gato”. Daí você fica pensando: “Ela me achou gato mesmo ou ela chama todo mundo de ‘gato’?”. O equivalente ao bebê feio seria aquele amigo maquiador dela que pesa 50kg e talvez também se pareça com um pequinês.

Depois disso Jerry encontra com sua namorada, Rachel, e ela fala do problema de lotação do trem, daí vem esse diálogo genial que ilustra o começo desse texto. George a vê pela primeira vez e felizmente não seria essa a mais marcante.

A cena em que Rachel acidentalmente encontra o George pelado depois de sair da piscina é uma das mais antológicas da série. Eu desconfio que não só a Elaine como algumas mulheres (as que eu felizmente não costumo conhecer) talvez não saibam de todo o processo de encolhimento. Realmente é das maiores constatações da fragilidade masculina: o símbolo da sua fertilidade fica do tamanho de um dedinho de gorila quando se atinge certa temperatura na água.

Voltando a falar do Kramer, a cena em que ele impede a namorada do Jerry de comer a lagosta me parece uma daquelas inclusas pra justificar mais uns tiques usuais e a estranheza desse personagem. A lagosta inclusive era totalmente desnecessária no contexto da história. É exatamente um daqueles roteiros em que o Kramer costuma ficar de fora: os de problemas conjugais.

É sempre difícil fazer bons episódios em que os personagens saem dos cenários habituais. Esse com certeza é um exemplo excelente de como um cenário não usual com cenas memoráveis consegue fazer com que um episódio seja lembrado entre um dos melhores. Tipo aquele de Acapulco.