De um lado ele é esperto com foguetes e do outro ele é burro para estacionar.

Faltou uma cena nesse episódio: os quatro voltando do jantar fracassado, entram no apartamento do Jerry e dão de cara com o Larry David de roupão marrom e pantufas escrevendo a cena final numa máquina de escrever com uma xícara de café do lado.

A história de quando Jerry, George, Elaine e Krames precisam ir a um jantar na casa de amigos é cheia de “pequenos momentos”. Sabe aquela coisa Amélie Poulain de tirar prazer nas pequenas coisas? Pois Larry David tira humor das pequenas coisas. Larry David é a Amélie Poulain do humor. Se a turma do stand-up diz que observa as situações do cotidiano pra fazer piadinhas, Larry David se incomoda com elas. Ele fica ofendido com as situaçõezinhas engraçadinhas do cotidiano e perde o sono por causa delas.

O episódio é engraçadíssimo, as piadas vêm de todos os lados. George entra no apartamento usando uma jaqueta ridícula Gore-Tex no exato momento em que Jerry precisa responder pra Elaine o que é um “frio de assustar”. É engraçado pelo timing e pelo humor físico. George é o Kramer. E como eles repetem Gore-Tex (e depois Bapka) isso é muito infantil, rir apenas do som das palavras).

George e Kramer precisam comprar um vinho pra levar no tal jantar (George, que não bebe vinho, queria levar Pepsi). É claro que George teria que entrar numa loja de bebidas com aquela jaqueta inflável, é pra isso que ele a estava usando. Kramer não carrega a carteira pois o osteopata dele diz que faz mal pra coluna (e ele falar “meu osteopata” é babaquíssimo) e George precisa pagar o vinho sozinho. Acontece que ele só tem uma nota de cem (é claro) e Kramer sugere que eles comprem alguma coisa na banca de jornais pra trocar o dinheiro (quem nunca?). Depois Saddam Hussein para em fila dupla e eles precisam esperar dentro da loja por causa do frio. Kramer está usando apenas um casaco fino totalmente inadequado pro frio que está fazendo pois queria parecer legal na festa (quem nunca?). É claro que George esbarra numa gôndola de garrafas (é pra isso que ele estava usando a jaqueta, afinal).

Enquanto isso, Jerry e Elaine estão na confeitaria pra comprar um bolo. Elaine diz que eles precisam levar um bolo pois são adultos (George queria levar alfajor). A confeitaria usa o sistema de senhas e é claro que eles só percebem isso depois de ver uma galera que entrou depois passando na frente. E a Elaine vai tentar explicar a situação pra uma cliente que chegou depois deles (quem faz isso?). E Jerry faz todo um discurso sobre racismo e igualdade enquanto come um cookie de baunilha e chocolate. E a Elaine ainda ofende um deficiente que apoiou a bengala no pé dela.

Larry David sabe muito das coisas. Esse é daqueles episódios que tem que ser visto algumas vezes pra pegar tudo.