Gostaria de ter mãos de calçadeira.

O episódio começa com George em uma entrevista de emprego, onde é bastante elogiado, mas acaba não tendo certeza se foi contratado por culpa de uma ligação importante que o chefe tem que atender. Como “sacar as coisas rápido” foi um atributo que o futuro chefe lhe conferiu, George fica sem jeito de ligar de volta perguntando se foi ou não contratado. Resolve fazer o óbvio: aproveitar que o chefe está viajando e ir trabalhar como se estivesse contratado.

Enquanto isso Jerry segue a recomendação de Kramer e vai cortar o cabelo com Gino, sobrinho de Enzo, com quem normalmente corta. Jerry aproveitaria uma folga dele para aparar as pontas com Gino, mas o plano dá errado já que Enzo estava no salão também. O corte executado por Enzo deixa Jerry com cara de um garoto de 8 anos de idade, o que o faz procurar por Gino em sua residência, escondido. Enzo desconfia e vai atrás dos dois.

The Barber provavelmente não é um daqueles episódios de Seinfeld que os fãs colocam na lista de favoritos. Eu posso estar errado, já que não sou fã suficiente pra acompanhar listas sobre o seriado. Apesar disso, esse é um episódio que curto bastante, cheio de atuações exageradas e pelo menos um grande momento do Kramer (não preciso dizer qual, só assistir).

Talvez esse seja um dos meus preferidos por eu me identificar com as situações principais: Já trabalhei em um lugar em que eu não sabia muito bem o que devia estar fazendo e, bem, a situação do cabeleireiro é um pouco mais complicada. Há uns 8 anos corto o cabelo em um salão de beleza feminino perto de casa, porque minha mãe sempre cortava lá. Acontece que ela deixou de ir nesse lugar, não me avisou e eu continuei a ir na inocência. Como criei um laço afetivo com a senhora que corta meu cabelo, não consigo simplesmente parar de ir (na verdade eu conseguiria, se não tivesse que passar na porta do lugar todo dia).

A vantagem é que uma vez por mês me atualizo sobre a novela das 8 (aparentemente a Mariana Ximenes era malvada, mas ficou boa, daí é malvada de novo). Esse mês fiquei sabendo que a cabeleireira em questão vai sair do salão. Quando ela me contou não contive o sorriso, mas disfarcei prontamente. Não gosto de ser indelicado.